quarta-feira, março 10, 2010

Love is ...



Pela janela do escritório vejo passar todos os dias um casal de velhotes. São de uma fofura que me toca. Devem estar os dois entre os 70 e 80 anos, e tão aprumadinhos que só visto.

Ela de cabelo pintado de um louro discreto, batom nos lábios, bem vestida, sapato com um pequeno salto (a velhice já não lhe permite um bom salto) e malinha na mão.

Ele de fato e sobretudo, sapatinho envernizado e …. Uma cabeleira falsa (capachinho). Toda a gente se apercebe que aqueles não são os verdadeiros cabelos do senhor, mas ele não se deve sentir bem semi-carequinha.

Geralmente passeiam de mãos dadas (que queridos), ou então ele vai mais à frente com as mãos atrás das costas e depois pára, esperando que ela o alcance.

Quando olho para eles fico a pensar que quando mais jovens, deviam ser aquele tipo de pessoas que não saíam de casa sem a devida produção, deviam ser um casal muito bonito, daqueles dignos de figurar em catálogo. Ou então não, ou então são um casal recente, que na solidão da velhice resolveram juntar as escovas dos dentes e reacender a chama da paixão, quais tarados sexuais e vem daí todo aquele amor e dedicação (opsss já a divagar).

Hoje o casal em questão fez uma demonstração do seu amor mesmo à minha frente, esperou-a e depois deu-lhe a mão e um beijo e continuaram a caminhar juntos.

Espero que o meu amor seja assim, duradouro e feliz.

.

0 Comentários

 

Pesquisar neste blogue

Na Primeira Pessoa