sexta-feira, março 26, 2010



Tenho irmãos e adoro.

E se tivesse mais, ainda melhor seria.

Tal como na maioria das famílias, em crianças tínhamos dias em que éramos os melhores amigos do mundo, e outros em que só à pancada nos entendíamos.

Brigamos, ofendemo-nos mutuamente, e como já disse, chapadas e pontapés foram também constantes.

Na altura não se previa que, hoje em dia, seríamos tão cúmplices, amigos e unidos.

Isto leva-me a pensar que os conflitos em criança também servem para reforçar os laços sanguíneos. Acho que o facto de termos idades próximas também ajudou.

As circunstâncias da vida também contribuíram para a nossa união. Desde cedo soubemos que a vida é efémera e por vezes madrasta, são poucos os que estão ao nosso lado para o que der e vier, e que precisamos de alguém em quem possamos confiar incondicionalmente. São meus conselheiros e confidentes.

São especiais, são os meus manos e Adoro-os.

.

3 Comentários

Olhos Dourados disse...

Também tenho um irmão e compreendo-te tão bem.

algodãozinho disse...

Pois é olhos dourados, não gostava nada de ser filha única :)

O Idiota disse...

Olá,
identifiquei-me com o texto. Não tenho muitos irmãos, tenho apenas uma irmã, mais velha. Quando novos estavamos sempre à porrada, não nos dava-mos nem a tiro de canhão. Eu era uma peste, ela tinha a mania que era minha mãe;)
Hoje somos muito amigos. Crescer tem destas coisas;)

Convido-te desde já a passares pelo meu estaminé.
Cumprimentos,
Miguel

 

Pesquisar neste blogue

Na Primeira Pessoa